29.5.11

Comer, comer



Olha! Um post anual no blog, que tal?

Essa semana saiu a revista Veja Comer & Beber, com os premiados de Brasília. Como eu concordo com os resultados em alguns casos, mas em outros, não, vou tentar fazer aqui a minha versão. Estendida, porque só aquelas categorias premiadas são muito chatas, tem que ter as dicas das comidinhas também.

Seguindo a ordem da revista, vamos começar pelas próprias comiditas, que causam a felicidade diária do cerumano:

Açaí - Não sei, não tomo.

Cachorro-quente - Também não tenho o hábito de sair para comer, nem gosto dessas papagaiadas de ervilha, molho de ervas e outras ecas. O único que eu traço direto é o da carrocinha da Cruz, na quadra 5 do Setor de Autarquias, porque é perto do meu trabalho. Peço só com molho quentinho, que derrete o queijo e equilibra a "crocância" da batata palha. Se estiverem com fome na área, podem ir sem medo, que é delicioso e eu nunca passei mal.

Café: Para mim, o único café perfeito da cidade é o do Cristina (202 norte). O Grenat se esforça mas não gosto muito do blend que eles servem (acho ácido), e nunca pedi outro (sei que eles têm). Já o machiatto deles é genial. E na Quitinete eles também geralmente acertam. Mas confesso que o que eu mais tomo é o da Freddo, no Iguatemi, só para ganhar a mini-bolinha de sorvete grátis que acompanha a xícara. ;)

Casa de chá: Vou começar a avaliar essa categoria quando eu fizer 60 anos.

Chocolate: Kaebisch, sem discussão. Chocolate que seria excelente em qualquer lugar do mundo. Na falta, Stans e Cacahuá, nessa ordem.

Crepe: Eu gosto do Mariposa, porque a massa é crocante, quase frita, mas é um gosto muito pessoal. O Crêpe Royale tem umas coisas mais afrescalhadas, com camarão, queijos franceses, curry, também são gostosos. O Tio Gu, o C'est si bon e La Crêperie também são competentes. Para falar a verdade, nunca comi um crepe que achasse ruim, até daquele do posto de gasolina (Crepe de Paris) eu gosto.

Doce: Briand, né? Da Rappel eu tomei birra. O resto, acho tudo leesho, sorry confeitarias. (mas ainda preciso experimentar esse Delícias Lusas, sou fã de doce tuga)

Empada: Pula.

Empório gourmet: E tem? Na falta, La Palma é um pouquinho mais completo. Depois, Bellini (tem uns molhos prontos importados) e Mercado Municipal (alguns queijos e frios), e o sonho de que o site do Sta. Luzia de SP comece a entregrar no DF.

Frozen yogurt: Yoggi de Jabuticaba e calda de damasco.

Padaria: La Boulangerie, sem discussão. Em segundo lugar, os pães do Mercado Municipal, principalmente o italiano e o português, de azeite.

Pamonharia: Taí uma coisa que eu amo e não sei por que nunca compro.

Pastelaria: O melhor que comi ultimamente foi o da Universidade do Pastel, na Feira do Guará.

Pizza por pedaço: Não sei, mas detesto a Dom Bosco, não consigo entender como todo mundo ama e virou um clássico brasiliense. Se bem que, se vc olhar os outros clássicos brasilienses...

Salgados: O kafta da barraquinha da 112 entrou nessa categoria, é campeão na minha lista. Mas no quesito salgadinho clássico, o melhor é o da Sweet Cake.

Sanduíches: Os panini do Cardinale, alguns do Marietta e o hambúrger do Outback (meu preferido é o menos saudável, claro)

Sorvete: A Rappel nem apareceu na revista, acho o sorvete deles perfeito. Mas ultimamente tomo mais o Freddo, pela novidade.

Sucos: Bibi Sucos de Ipanema, não pode?

Tapioca: A que eu faço em casa, com a goma molhada que vende no La Palma (às sextas chega fresquinha). Fora essa, a Maria Bonita, do Sudoeste, é a única que eu experimentei, e é ótima.

Temaki: A Koni do Sudoeste é a melhor, a da Asa Norte é boa também, a da Asa Sul não. E aquela do Pier 21 é boa.

Vinho: Nicolas, não pode? Não entendo muito de vinho. Eu compro na SuperAdega, mas aceito dicas de lugares melhores (mais baratos, ok?)

E não sei se faltou essa categoria, ou se deveria ter entrado junto com os saunduíches, mas o fato é que ignoraram os...

Kebabs: O da Torre é o mais autêntico e trashón, mas meio irregular: tem dia que tá ótimo, outro que tá meio ruim. O Keb (105 sul) é mais arrumadinho, desses de franquia, e muito gostoso também. O Halal (acho que é esse o nome, na 408 sul) é um lance mais gourmet, de sentar e comer com garfo e faca, acho meio chato (mas é saboroso).

Bem, é claro que eu não conheço todos os lugares que a revista indicou. Se alguém tiver dicas de lugarezinhos imperdíveis, aceitamos nos comentários!

No próximo post continuo com bares e restaurantes. Ou não.

3 comentários:

Pinto disse...

Gente, tá vivo!

Marcota disse...

Mileva nesse Delicias Lusas!

r! disse...

@Pinto Dentro do caixão, mas tá!
@Marcota Vamo? Esqueci de incluir a categoria Melhor Cheesecake: Objeto Encontrado ou Café Cassis?